Falecimento do Willmutt

Faleceu o Willmutt, famoso humorista aqui do Oeste do Paraná. Originário de Marechal Cândido Rondon (lugar onde tenho muitos amigos!), cidade que possui a segunda maior colônia de alemães do Brasil. Ele interpretava um personagem que falava com o sotaque alemão da região onde vivia (só quem já esteve em Marechal e região vai entender bem!) e começou a fazer humor com isso. Ele faleceu ontem num acidente de carro, no interior de Goiás, quando se deslocava para fazer um show.

Cleiton Geovani Kurtz é oriundo de uma família humilde da cidade de Marechal Cândido Rondon-PR. Foi servente de pedreiro, carteiro, atendente de farmácia e vendedor de loja até que incorporou o humorista WILLMUTT e saiu do anonimato para se tornar conhecido e reconhecido em todo o Brasil, especialmente na região Sul, por seus trotes telefônicos e humor irreverente.

O personagem WILLMUTT surgiu de uma brincadeira entre amigos. Nesta brincadeira aconteceu o primeiro trote, aplicado despretensiosamente numa operadora de telefonia celular, em 2003. Por mais de dois anos aquele trote ficou guardado até que, em 2005, os seus amigos fizeram com que ele ganhasse o mundo através da Internet, primeiro através de e-mails e Orkut e depois, através de site próprio.

A partir de 17 de dezembro de 2005 passou a ser feita a contagem dos acessos ao site e desde então, houve mais de 3 milhões de visitas.

Com o tempo, sempre interpretando o alemão WILLMUTT, novos trotes foram aplicados, sendo que hoje já são mais de 200. Todos eles obedecem a uma característica própria, ou seja, sem ofensas a quem está do outro lado da linha e sem denegrir a imagem da empresa ou pessoa, vítima”da pegadinha.

O sucesso do personagem fez com que Cleiton Kurtz apostasse numa carreira de humor, passando a interpretar o WILLMUTT também em shows artísticos, com muito humor, piadas, brincadeiras e interação com o público. Desde então, aproximadamente 300 mil pessoas já assistiram ao seu show, carinhosamente apelidado de SHOWSSASSO TO WILLMUTT.

Fonte: www.willmutt.com.br

logo
Willmutt.
hqdefault
Cleiton Geovani Kurtz, o Willmutt.
willmutt
Willmutt durante uma apresentação.

Brincando com bonecas

No último final de semana estive em Marechal Cândido Rondon, visitando meus amigos Marcão e Rosemeire. E além deles pude rever outros amigos, alguns que eram de Curitiba e agora vivem em Marechal. E entre as muitas coisas que fiz vale mencionar as brincadeiras que tive com a Mirella, filha do Marcão e da Rosemeire. Brinquei de bola, de quebra cabeças, de desenhar e até de boneca. Em pleno sábado à noite eu estava trocando vestidos da Barbie! Eu que durante muitos anos tive medo de relacionamentos sérios e não queria casar, não queria filhos por achar que não seria um bom pai, a cada dia que passa tenho mudado de opinião. Após a experiência de meu último namoro, onde a namorada era separada e tinha uma filha de nove anos com quem eu me entendia muito bem, cada dia mais tenho percebido que levo jeito com crianças e que quero ser pai. Quem me viu e quem me vê!!!!

Brincando de boneca com Mirella.
Trocando o vestido da Barbie.
Desenhando com Mirella.

Marechal Cândido Rondon

No último final de semana fui a Marechal Cândido Rondon, cidade com uma das maiores colônias de imigrantes alemães no Brasil. Tenho muitos amigos nessa cidade, e já tinha ido várias vezes lá, mas fazia exatos onze anos que não visitava a cidade. Dessa vez fui até lá para visitar meus amigos Marcos e Roseméri. Desde que eles mudaram de Curitiba há uns seis anos, que eu não os via. E além da grande amizade que tenho pelos dois, fui o cupido do casal, fui eu quem apresentou um ao outro e depois fui padrinho de casamento deles.

Mesmo sendo rápida a visita, passei bons momentos na cidade em companhia de meus amigos e também revi familiares da Roseméri, que eu conheço há quase duas décadas. Além de muita conversa, e a noite uma saída para pizza e sorvete, a melhor parte da visita foi conhecer a filhinha do casal. A menina é uma graça e acabei brincando um pouco com ela, que ficava me chamando de tio. Eu que não gostava de crianças, que tinha medo de ter filhos, de uns anos para cá perdi tal medo e descobri que me entendo bem com as crianças. Talvez por que no fundo eu tenho ainda um pouco da criança que fui (e continuo sendo).  Kkkkk

Vou procurar não demorar tantos anos para fazer nova visita aos meus queridos amigos. E disse aos dois que já que fui eu que os “desencalhei”, agora é a vez de eles darem um jeito de me “desencalhar”. Vamos ver se eles são tão bons como cupidos, igual eu fui e me arrumam alguma(s) pretendente(s). Kkkkkkkkkk…

Portal de Marechal Cândido Rondon - Pr.
Sou o "culpado" por essa família " existir"...