Hollywood

O letreiro de Hollywood há décadas desperta curiosidade de quem passeia por Los Angeles ou simplesmente o vê na TV, em filmes ou séries. A atração turística fica no parque Griffith, em uma cordilheira de quase 570 metros que separa o distrito de Hollywood e parte de Los Angeles do vale de San Fernando.  A área da colina tem um terreno áspero e íngreme e, desde 2000, foi cercada pela polícia de Los Angeles, que instalou um sistema de última geração para coibir invasões e visitas sem autorização.

Inaugurado em 1923, o letreiro não foi feito para anunciar filmes e astros do cinema, mas para fazer os americanos comprarem imóveis. A peça foi criada pelo banqueiro canadense Hobart J. Whitley, conhecido como “pai de Hollywood” e fundador de dezenas de cidades americanas. Sua ideia era um divulgar um loteamento residencial próximo ao local. O nome do empreendimento: “Hollywoodland”. Era escrito assim o letreiro original. Quem assina o design é o inglês Thomas Fisk Goff, que foi contratado para construí-lo. Whitley já havia tido a ideia de usar um amplo letreiro para promover um empreendimento entre a avenida Highland e a rua Vine em Hollywood. Mas, pelo menos no Texas, há quem diga que a inspiração veio de lá, mais precisamente da minúscula Mineral Wells, onde viviam menos de 8.000 pessoas. Segundo esta versão, o cineasta David Griffith teria visitado o local no início dos anos 1920 e se encantado com o enorme letreiro que saudava os visitantes com a palavra “Welcome” (“bem-vindo”). De volta a Los Angeles, teria feito a sugestão a parceiros de negócio envolvidos no projeto de Whitley.

O “outdoor” deveria ter ficado lá por apenas 18 meses. Era um “brinquedo” caro, de dispendiosa manutenção. Custou US$ 21 mil (equivalente a atuais US$ 300 mil). Sua versão original era luminosa e um pouco maior, com letras de 9,1 metros de largura e 14 metros de altura. Com a Crise de 1929 e as dificuldades impostas pela Segunda Guerra Mundial, o empreendimento perdeu a iluminação e declarou falência na década de 1940, quando se tornou propriedade municipal. Em princípio, ele seria demolido, mas moradores protestaram. Ele viria a ser reformado pela primeira vez apenas em 1949, em parceria com a Câmara do Comércio. Foi aí que ganhou o atual formato de “Hollywood”.

Com o tempo o letreiro com suas placas metálicas e estrutura de madeira, foi se deteriorando. Na década de 1970, o primeiro “O” quebrou e o terceiro despencou, criando um bizarro sinal de “HuLLYWO D”. Em 1978, o letreiro voltou à vida graças ao apoio de celebridades como Hugh Hefner, dono da Playboy, que organizou um leilão em que a reforma de cada letra foi posta à venda. Bem-sucedida, a campanha resultou em ampla reforma e na declaração de monumento cultural e histórico.

Fonte: Uol

The Hollywood sign | A Los Angeles icon

letreiro-original-de-hollywood-1501534835339_v2_750x421

letreiro-de-hollywood-nos-anos-1970-1501535643843_v2_750x421

hollywoodland630

nBWgoP6

VCW_D_Hollywood_T1_aepg_5120605416_7a5b3fc328_o_1280x642

Meu primeiro cinema

Comecei a gostar de filmes em 1975, quando minha família comprou nossa primeira TV, ainda em branco & preto. Eu adorava assistir filmes de bang bang junto com minha mãe. E a primeira vez que fui ao cinema, foi em 1976. Fui com meus pais e minha irmã (meu irmão ainda não era nascido) assistir a um filme sobre a Família Robson. Meu primeiro cinema foi o Cine Plaza, o único de minha cidade natal, Campo Mourão – Pr. O cinema era enorme, com mais de mil lugares e aquele primeiro filme foi uma experiência incrível. Ainda em 1976 voltamos ao cinema, dessa vez para assistir ao sucesso King Kong. Esse foi um dos cinco filmes com maior público na história do cinema de minha cidade. E King Kong me rendeu muitos pesadelos nos dias seguintes, pois o macacão era assustador para um garoto de seis anos. Em compensação a loira do filme rendeu outros tipos de pensamento para o mesmo garoto de seis anos.

Durante muitos anos o Cine Plaza fez parte de minha vida. Inesquecível as muitas matines em que fui assistir a filmes dos Trapalhões. E foi nesse mesmo cinema onde levei minha primeira namorada, Roseli, para ver um filme no final de 1986. Só não lembro qual foi o filme! Mas lembro de que ela estava mais preocupada em comer pipoca do que me dar atenção. E nesse mesmo cinema assisti dezenas de filmes, muitos clássicos que entraram para a história. E muitas noites matei aula e pulei o muro do colégio para ir ver filmes no Cine Plaza.

O cinema ficava bem no centro da cidade, próximo da praça central. E numa época em que não existia internet, DVD ou TV a cabo, era no cinema e em frente a ele, que os jovens se reuniam nas noites de sábado e principalmente nas noites de domingo. Entre muitas histórias que vivi no cinema, tem duas que vale a pena mencionar. A primeira foi em 1987, quando num domingo a noite passou o filme sobre vampiros, A Hora do Espanto. O cinema estava tão cheio, que tinha muita gente vendo o filme em pé. Eu era um dos espectadores que estava em pé naquela noite, no corredor lateral direito do cinema. Ao meu lado duas belas moças, mais velhas do que eu. Em dado momento do filme tinha uma cena horrível, com vampiros derretendo ao serem expostos a luz do sol. Eu olhei para o chão, pois não queria ver tal cena. Um das moças, a mais bonita, ficou com tanto medo que me abraçou e me apertou. Aquele abraço inesperado foi um momento inesquecível para um garoto tímido como eu. Outra fato inesquecível foi em 1988, durante a exibição do filme A Volta dos Mortos Vivos. Era um sábado a noite e chovia forte. Tinha uma cena do filme que acontecia num cemitério, sob chuva. E no mesmo instante em que chovia no filme, começou a chover forte dentro do cinema, bem ao meu lado, por culpa de uma grande goteira. Aquilo parecia cinema 4D de tão real. Era até assustador! E nesse mesmo filme um rato passou correndo por cima do meu pé.

O Cine Plaza funcionou até o início dos anos noventa e o último filme que assisti nele foi O Exterminador do Futuro. Nesse filme estava acompanhado de meu irmão. Tempos depois o cinema fechou e desde então funciona no local uma Igreja Universal do Reino de Deus. Mas sempre que passo em frente ao antigo cinema, lembro-me das muitas experiências que vivi ali e das pessoas que conviveram comigo naquele cinema, algumas delas já falecidas. E pra finalizar, mais uma historinha desse cinema. Em meados de 1987 fiz amizade com um dos projetistas do cinema. Ele algumas vezes me deixava entrar escondido por uma porta existente ao lado da porta principal do cinema e que levava até a sala de projeção. Ali eu assistia filmes pornográficos da sessão das dez, em pé, olhando por uma das janelinhas da sala de projeção. Na época eu era menor de idade e não podia entrar no cinema para ver tais filmes. Assistir aos filmes proibidos, escondido na sala de projeção era uma grande aventura. Boas lembranças, doces histórias, muita saudade de um tempo que se foi…

8maio42017

Interior do Cine Plaza.

Cine-Plazza-Rua-Brasil

Antigo Cine Plaza.

Sobre o Oscar 2017

Fazem trinta e poucos anos que acompanho a entrega do Oscar. Não vi todas, por diversos motivos perdi algumas. Mas a de ontem à noite felizmente não perdi, pois foi histórica. Ainda bem que tenho TV a cabo e pude assistir a cerimônia do Oscar pelo canal TNT. A Globo transmitiu os sonolentos desfiles de Carnaval. Aliás, desfile é bom de ver ao vivo, pela TV é muito chato!

Minha torcida para melhor filme era para Até o Último Homem, mas eu achava que ia dar La La Land como vencedor. E por alguns minutos o vencedor foi La La Land. Devido a uma lambança histórica motivada por troca de envelopes com as informações sobre os vencedores, La La Land acabou sendo anunciado como vencedor do prêmio de melhor filme. O pessoal subiu no palco, receberam as estatuetas, dois fizeram discurso e de repente para tudo e é anunciado que tinham cometido um erro e o vencedor era Moonligth. A platéia ficou perplexa, muitos não entendendo o que estava acontecendo, outros achando que era mais uma das muitas brincadeiras do apresentador do Oscar. Nisso o pessoal do Moonlight comemorou meio que não acreditando no que estava acontecendo. E na confusão o apresentador Jimmi Kimmel tentou justificar as coisas e meio que se sentindo culpado pelo erro, se despediu falando que não voltava mais a apresentar o Oscar. Foi hilário, surpreendente, espantoso, inacreditável, surreal o que aconteceu. Olhei no site da Rede Globo e eles já tinham anunciado La La Land como o vencedor, e demoraram um pouco para corrigir a informação. Aliás, a Globo deu azar, perdeu a chance de transmitir talvez a cerimônia do Oscar mais incrível de todos os tempos, para transmitir desfile de Carnaval com um monte de mulher pelada, acidente com carro alegórico com muita gente ferida e outras baixarias mais. Dessa vez você perdeu Globo!

Deixe-me fazer alguns comentários sobre as principais premiações. Os vencedores de ator coadjuvante (Mahershala Ali) e atriz coadjuvante (Viola Davis) foram merecidos. O de melhor atriz (Emma Stone) também foi merecido. E o de melhor ator o vencedor (Casey Affleck) era minha segunda opção. E merecia um prêmio especial a Amy Adams, pelo vestido very sexy que usou ao apresentar um trecho da premiação. Que mulher! E La La Land mesmo não tendo vencido na categoria principal, que é de melhor filme, foi o filme vencedor da noite com seis estatuetas. A melhor música foi merecida, pois “City of Stars” de La La Land é uma musiquinha gostosa de ouvir, e cujo refrão você começa a cantar repetidamente sem perceber. Tal refrão gruda e é difícil se livrar dele!

Ano passado aconteceu uma polemica enorme em razão de atores negros não terem sido indicados ao prêmio nas melhores categorias. E como a academia do Oscar é muito política, esse ano parece que para compensar e evitar polêmicas indicou e premiou alguns atores negros. E deu o prêmio de melhor filme a um filme que tem quase que exclusivamente atores negros. Acho que independente da cor da pele merece vencer o melhor. E sem querer polemizar, Moonlight não merecia vencer como melhor filme. Mas venceu! E o filme tem a temática homossexual, que anda muita na moda ultimamente. Mesmo torcendo por Até o Último Homem, acho que La La Land merecia ter vencido, pois era o único filme que tinha uma temática leve, alegre. E após uma semana horrível que tive, com muitos e muitos problemas, teria sido legal ver um filme alegre vencer o Oscar de melhor filme. Mas venceu um filme pesado, que fala de violência, discriminação, drogas, homossexualismo e mais um monte de coisas não tão alegres. E ainda por cima teve um final de premiação confuso que será lembrado por muitos e muitos anos… Mas valeu! Para quem é apaixonado por cinema igual a mim, que conseguiu encontrar um meio de assistir a premiação sem depender da Rede Globo e teve forças para ficar acordado até duas e pouco da madrugada, foi um Oscar inesquecível…

2017-oscars-89th-academy-awards_3hjg

oqkubbjp

Melhor filme.

23073500

Melhor Atriz: Emma Stone

23073502

Melhor ator: Casey Affleck

2017-02-27t031710z-1948559654-hp1ed2r094lqk-rtrmadp-3-awards-oscars

Melhor atriz coadjuvante: Viola Daves

23073477

Melhor ator coadjuvante: Mahershala Ali

1488135116_854485_1488177394_noticia_normal

Momento de confusão, o produtor de La La Land devolve o Oscar para Moonlight.

images

Amy Adams. Linda!!!

 

Filmes que assisti em 2015

Em 2015 resgatei uma prática do passado, que há muitos anos eu não fazia. Anotei todos os filmes que assisti durante o ano e dei nota a eles. Fazia muito isso nos anos noventa e primeira metade dos anos dois mil. Teve ano em que cheguei a assistir 71 filmes no cinema. Naquela época eu via muitos filmes, morava em Curitiba e próximo a muitos cinemas. Acho que esse recorde de ver 71 filmes no cinema durante um ano eu nunca mais baterei. Em 2015 assisti apenas 3 filmes no cinema. Em minha cidade existe apenas um cinema e a maioria dos filmes bons nem chegam por aqui. O que me salva é a internet, então atualmente vejo a maioria dos filmes em casa, numa TV grande, HD e 3D.

Em 2015 assisti 123 filmes. Abaixo segue a lista dos quatro filmes que mais gostei e dos dois que menos gostei. Dos que mais gostei tem Sniper Americano, que concorreu ao Oscar de melhor filme de 2015. E tem também Esquecido em Marte, que está concorrendo ao Oscar de melhor filme de 2016. Esse foi um dos poucos filmes que vi no cinema, e adorei a trilha sonora que tem até música do ABBA.

E os dois piores filmes que assisti em 2015, um é americano e cujo autor principal é Elijah Wood, ator principal do filme O Senhor dos Anéis. E tem um filme nacional, Rio Corrente, que acho que posso assistir umas dez vezes e não vou entender muito bem o filme. Só não entendo como pude assistir estes dois filmes até o fim, pois podia utilizar o tempo que perdi vendo tais filmes fazendo algo melhor.

Melhores filmes que assisti em 2015:

1° – Esquecido em Marte

2° – A Cem Passos de um Sonho

3 °- Sniper Americano

4° – Virando a Página

Piores filmes que assisti em 2015:

1° – Maníaco

2° – Rio Corrente

Ps: Não levei em consideração para a lista de melhores e piores de 2015 os filmes que já tinha assistido no passado e que assisti novamente em 2015. Nesse caso se enquadra a trilogia De Volta Para o Futuro, que entra na conta dos 123 filmes assistidos em 2015, mas não entra nessa lista de melhores e piores.

Filmes mais pirateados em 2015

A Folha de São Paulo publicou uma lista dos dez filmes mais pirateados em 2015, cujo monitoramento foi feito até dia 25 de dezembro. O líder de pirataria é um filme lançado em 2014, Interestelar. Essa lista foi feita de acordo com informações fornecidas pela empresa antipirataria Excipio.

Destes dez filmes assisti somente um pirateado, mas não fui eu que baixei, apenas assisti a cópia que um amigo tinha baixado. O filme no caso é Sniper Americano. E dessa lista de campeões de pirataria, assisti somente outros dois filmes e foi no cinema, Jurassic World e Vingadores. Dos demais filmes da lista não assisti nenhum, pois são filmes de estilos que não curto ou foram filmes que não me despertaram interesse.

Lista por número de downloads:

1° – Interestelar (46,7 milhões)

2° – Velozes e Furiosos 7 (44,8 milhões)

3° – Vingadores – A Era de Ultron (41,6 milhões)

4° – Jurassic World (36,9 milhões)

5° – Mad Max: Estrada da Fúria (36,4 milhões)

6° – Sniper Americano (33,9 milhões)

7° – Cinquenta Tons de Cinza (32,1 milhões)

8° – O Hobbit: A Batalha dos Cinco Exércitos (31,5 milhões)

9° – Exterminador do Futuro: Gênesis (31,0 milhões)

10° – Kingsman – Serviço Secreto (30,9 milhões)

Interestelar - XVI.jpeg

 

Filmes de Natal

Gosto muito de filmes cujo tema seja Natal. No caso, Natal no hemisfério norte, com neve. Eu passei somente um natal fora do Brasil, foi em 2002 quando estava morando em Orlando, nos Estados Unidos. Mas na Flórida dificilmente caí neve, então aquele foi um natal frio e chuvoso, sem um único floco de neve. De qualquer forma valeu a experiência, pois por onde andava o clima e a decoração era de Natal. Tive a impressão de que o norte americano curte mais que nós brasileiros a época de Natal, festeja e consome mais.

E como está chegando o Natal, vou dar a dica de alguns filmes que se passam na época de Natal e que estão entre meus filmes favoritos. Se você tiver um tempo livre nessa semana que antecede o Natal, escolha um destes filmes – ou todos eles – e entre no clima natalino.

1990

Esqueceram de Mim (1990).

O primeiro filme dos cinco da série Esqueceram de Mim é muito bom. Os demais nem tanto! Assisti esse filme no cinema, com uma antiga namorada, Andrea C. No filme um garoto é esquecido em casa no Natal e tem que se virar para impedir que ladrões roubem sua casa.

1994.

Milagre na Rua 34 (1994).

Esse filme assisti em casa, no videocassete. E lembro que perdi uma aposta para meu amigo Mauricio Arruda, pois insisti que o filme se chamava Milagre na Rua 43. No filme uma menina que não acredita em Papai Noel, conhece um velhinho no Natal que prova que ela estava errada.

1994

Encurralados no Paraíso (1994).

Assisti esse filme na televisão, muitos anos após ele ter sido lançado. E era uma noite de Natal. No filme três assaltantes roubam o banco de um pequena cidade e não conseguem fugir. Ficam de certa forma presos na cidade e conhecem o verdadeiro significado do Natal. O ator principal do filme é Nicolas Cage, um de meus atores favoritos.

2000

Um Homem de Família (2000).

Esse filme assisti no cinema, sozinho. O ator principal também é Nicolas Cage, que no filme é um cara solteiro e intediado, que no Natal começa a imaginar como teria sido sua vida se ele tivesse se casado com sua namorada dos tempos de colégio. O filme é meio que uma fabula moderna.

Simplesmente Amor (2003).

O filme estava estreando nos Estados Unidos em dezembro de 2003, justamente quando eu voltava a viver no Brasil. Assisti ele no cinema, já no Brasil. O filme é uma comédia romântica que se passa na época do Natal. São várias histórias paralelas que acontecem ao mesmo tempo. Esse filme tem a participação do brasileiro Rodrigo Santoro. No cartaz original do filme, o Rodrigo Santoro não aparece. Já no cartaz brasileiro ele está presente substituindo o ator Bil Nighy (compare os dois cartazes acima).

2004

Um Natal Muito, muito Louco (2004).

Mais um filme que assisti em casa, dessa vez no DVD. O filme é meio que uma comédia, onde um casal não quer mais comemorar o Natal e acaba sendo convencido pela vizinhança a mudar de ideia.

2009

Os Fantasmas de Scrooge (2009).

Esse foi o primeiro filme que assisti em uma cinema Imax, numa tela gigantesca e em 3D. O filme é mais uma versão do famoso conto de Charles Dickens, onde um homem rico e mesquinho recebe em pleno Natal a visita de três espíritos, sendo um de seus natais passados, outro de seus natais presentes e por último o de seus natais futuros. A partir dessas visitas muita coisa muda na forma de pensar de Scrooge.

Star Wars: O Despertar da Força

Hoje é a estreia do filme Star Wars: O Despertar da Força. Muitos cinemas espalhados pelo Brasil tiveram a estreia do filme nas primeiras horas da madrugada. Fãs da saga Star Wars formavam fila para assistir ao filme. Até mesmo em minha cidade, aqui no Noroeste do Paraná, tinha fila ontem à noite na porta do único cinema da cidade. Eu sou grande fã de cinema, mas dispenso assistir Star Wars: O Despertar da Força. Não gosto desse tipo de filme! Até tentei assistir dois outros filmes da saga, mas não teve jeito. Questão de gosto! Mas para quem gosta vale a pena, pois ouvi de amigos fãs da saga e que assistiram ao filme nessa madrugada de estreia, que o filme é muito bom. O problema está sendo eles trabalharem hoje com sono, após terem ido dormir tarde por culpa do filme.

download

17310-jedi-and-sith-star-wars-2880x1800-movie-wallpaper

De Volta Para o Futuro (21/10/2015)

Hoje é um dia muito especial para todos os fãs da trilogia “De Volta Para o Futuro”. Nesse dia específico, 21/10/2015, é a data que Marty McFly (Michael J. Fox) chega ao futuro, no enredo de “De Volta Para o Futuro 2”. Além disso, este ano faz 30 anos que o primeiro filme da franquia chegou aos cinemas.

“De Volta Para o Futuro”, é um de meus filmes favoritos, e assisti ao primeiro filme da série no Cine Plaza de Campo Mourão, quando tinha 15 anos. O II e o III assisti em cinemas de Curitiba, respectivamente em 1989 e 1990.

aaaaa

21/10/2015, o futuro finalmente chegou!

5_new

Na Universal Studios, Orlando – USA. (04/02/2003)

6_new1

Na Universal Studios, Orlando – USA. (04/02/2003)

11

Universal Studios, Orlando – USA. (23/10/2011)

12

Na Universal Studios, Orlando – USA. (23/10/2011)

13

Interior do DeLorean do filme De Volta Para o Futuro.

 

De Volta para o futuro – 30 anos

No último dia 3 de julho, o filme De volta para o futuro completou 30 anos de seu lançamento. O filme que teve duas continuações e se tornou uma das mais famosas trilogias da história do cinema, faz parte da cultura pop do cinema. Assisti ao primeiro filme da trilogia no final de 1985 e fiquei fascinado. Tal filme se tornou um de meus filmes favoritos de todos os tempos. Quando assisti ao filme eu era um garoto interiorano de 15 anos, cheio de sonhos. Hoje sou um adulto de 45 anos, que voltou a viver no interior após viver muito tempo em cidade grande e viajar um pouco pelo mundo. E nestas viagens pelo mundo cheguei a ver ao vivo e a cores alguns itens originais dos filmes da trilogia. E o mais importante foi um dos carros DeLorean utilizados no filme.

Recentemente Robert Zemeckis, diretor da trilogia De volta para o futuro, afirmou que enquanto ele viver não permitirá que seja feito um remake (regravação) do filme. Acho isso importante, pois na moda de remakes recentes, muitos ótimos filmes do passado foram regravados e se tornaram uma bela porcaria.

vj04XlNN

De volta para o futuro – 30 anos.

BTTF-All3Posters

Cartazes dos filmes da trilogia “De volta para o futuro”.

5_new

Universal Studios, Orlando – USA (fev/2003).

10

Universal Studios, Orlando – USA (set/2011).

11

Universal Studios, Orlando – USA (set/2011).

Morte de Amanda Peterson

Acabo de ler sobre a morte da Amanda Peterson, atriz que estrelou um de meus filmes favoritos, Namorada de Aluguel (Can’t buy me love). Assisti ao filme pela primeira vez em 1989, na sala de vídeo de minha Companhia, no quartel do Exército onde eu servia em Curitiba. Ao ver o filme fiquei encantado com aquela loirinha que fazia par romântico com Patrick Dempsey. Revi o filme muitas vezes nestes últimos 26 anos. Infelizmente Amanda Peterson não fez muitos filmes e nem tanto sucesso como o filme Namorada de Aluguel.

Amanda Peterson, atriz do filme “Namorada de Aluguel”, morreu aos 43 anos, disse o site TMZ nesta segunda-feira (06/07). Ela estrelou o filme em 1987 com Patrick Dempsey, com sucesso. Mas Amanda abandonou a carreira em 1994 e tinha uma vida reclusa.

De acordo com o site, o corpo da atriz foi encontrado no domingo (5), em sua casa no Colorado, EUA, após a família ficar dois dias sem ter notícia dela. O pai da atriz diz ao site que a causa da morte não foi confirmada.

“Ela tinha problemas de saúde, e sua apneia de sono pode ter contribuído [com a morte]”, diz o pai ao TMZ. Segundo o site, ela sofria havia dois anos de sérios problemas, como pneumonia.

Além de estrelar “Namorada de aluguel”, ela atuou em filmes como “Annie” (1982), “Viagem ao Mundo dos Sonhos” (1985, com Ethan Hawke e River Phoenix) e Desencontros (1989).

Desde que ela deixou de atuar, vários boatos foram divulgados sobre a vida de Amanda Peterson, sem confirmação. Segundo o TMZ, ela tinha voltado a estudar até o ano 2000, e atualmente tentava a carreira de escritora.

Fonte: globo.com

Namorada de Aluguel.

Namorada de Aluguel (1987).

a1

Amanda Peterson, no filme “Namorada de Aluguel”.

a3

Patrick Dempsey e Amanda Peterson.

a08

Cenas do filme “Namorada de Aluguel”.

a10

Amanda Peterson em 2014.

Ghost, 24 anos

Hoje faz exatamente 24 anos que assisti ao filme Ghost: Do Outro Lado da Vida. Coincidentemente, a exemplo de hoje, o dia 3 de maio de 1991 também era um domingo nublado e chuvoso. Ghost foi um sucesso de bilheteria na época e até hoje é um de meus filmes favoritos.

Assisti ao filme no Cine Lido, em Curitiba. Estava acompanhado da Andrea C. com quem tinha começado a namorar três dias antes. Era a primeira vez que saíamos juntos e a pedido dela fomos assistir ao filme de maior sucesso no momento, e que gerava fila na entrada dos cinemas onde era exibido. Naquela época em Curitiba não existiam cinemas em shoppings. Os cinemas existentes eram os de rua e as filas para entrar nos cinemas se formavam nas calçadas. Para assistir Ghost, ficamos mais de uma hora numa fila que dobrava o quarteirão e tinha mais de cem metros de extensão. Durante a espera começou a chover e felizmente a Andrea era precavida e tinha levado um guarda chuvas branco, com o desenho da Madona.

Naquele domingo o cinema estava lotado e o filme era triste e muita gente chorou, inclusive a Andrea. Engraçadinho como sou fui caçoar dela, que ficou brava comigo. De marcante no filme era a música Unchained Melody.

Passados 24 anos daquele domingo chuvoso, consigo lembrar de muitos detalhes daquele dia. Isso graças ao filme que foi marcante e até hoje figura na lista de meus filmes inesquecíveis. O Cine Lido ainda existe e funciona na Rua Ermelindo de Leão, bem no centro de Curitiba. Mas seus dias de glória e de filas na porta ficaram no passado. Atualmente ele passa filmes pornográficos e é um local de prostituição e de encontro de homossexuais. Mas independente disso, trago boas lembranças deste cinema e sinto saudades daquele tempo.

Há uns cinco anos eu passava em frente ao velho cinema e ele estava todo aberto, sendo lavado. Pedi autorização e me deixaram entrar no cinema. Entrei, me sentei em umas das primeiras fileiras e fiquei lembrando dos muitos filmes que assisti naquele local no passado. Infelizmente não existem mais cinemas de rua em Curitiba, com exceção dos que passam filmes pornográficos. Os cinemas atuais em shoppings, são bem mais confortáveis e modernos, mas não tem aquela magia, aquele saudoso cheiro de mofo dos antigos cinemas de rua do passado.

Ghost

O filme Ghost: Do Outro Lado da Vida, foi lançado nos Estados Unidos em 1990 e estreou no Brasil em 1 de novembro de 1990. O filme foi um sucesso de bilheteria, arrecadando U$ 505.702.588,00 com um orçamento de U$ 21 milhões. No Brasil o filme arrecadou U$17.041.632,00. No mundo foi o filme de maior bilheteria em 1990. O filme foi indicado a cinco Oscar e venceu dois, sendo os de Melhor Roteiro Original e Melhor Atriz Coadjuvante, para Whoopi Goldberg.

Curiosidades sobre o filme

A atriz Meg Ryan recusou o papel de Molly. Nicole Kidman chegou a fazer testes para o papel. Molly Ringwald também fez um teste para o papel mas perdeu para Demi Moore.

Bruce Willis, que na época era marido de Demi Moore, recusou o papel de Sam, pois achava que o filme não daria certo. Outros grandes atores, como Tom Hanks, Tom Cruise e Nicolas Cage foram reprovados para interpretar Sam.

Whoopi Goldberg só participou do filme graças à insistência de Patrick Swayze. Graças à sua atuação em Ghost, ela ganhou posteriormente o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante.

O filme foi exibido pela primeira vez na televisão aberta no Brasil, na Rede Globo, em Tela Quente – Especial, no dia 27 de dezembro de 1993. A audiência do filme foi histórica, chegando aos 56 pontos de Ibope, superando os índices da novela das oito da época, Fera Ferida, que a antecedeu na programação. Ghost entrou para a história, uma vez que nenhum outro filme registrou tamanha audiência até então, e nem posteriormente foi superado.

Cartaz do filme Ghost.

Cartaz do filme Ghost.

g2

Patrick Swayze e Demi Moore.

g3

Interior do Cine Lido.

g4

O Cine Lido atualmente.

g5

O Cine Lido atualmente.

g6

Esquina onde a fila dobrava há 24 anos.

Oscar 2015

No próximo domingo, dia 22, será realizado mais uma entrega do Oscar, o prêmio máximo do cinema. E mais uma vez consegui assistir a todos os filmes que concorrem ao Oscar de melhor filme. E novamente foi difícil conseguir assistir a todos os oito filmes concorrentes, pois na minha cidade o cinema é ruim e filmes bons quase não passam por aqui. Tem filmes do Oscar do ano passado que nem passaram por aqui. Diante desse problema, tive que recorrer a internet para assistir aos filmes antes da entrega do Oscar e poder fazer esta postagem aqui no Blog.

Este ano tem filmes muito bons concorrendo na categoria Melhor Filme. E dos oito concorrentes, quatro são baseados em histórias reais, sinal de que a vida real dá boas histórias para se contar no cinema.

Abaixo segue a lista dos indicados a melhor filme, na ordem de minha preferência e torcida. Nos dois últimos anos, quando fiz listas iguais a essa, a minha terceira opção é que foi a vencedora em 2013 e minha segunda opção a vencedora em 2014. Quase acertar os vencedores nos dois últimos anos é sinal de que entendo um pouco de cinema. Aliás, cinema é uma de minhas paixões desde criança! Atualmente não vejo muitos filmes no cinema, vejo muitos filmes em casa. No passado teve anos em que eu cheguei a assistir setenta e dois filmes no cinema. Hoje em dia para mim é mais confortável assistir filmes em casa, numa TV gigante de Led com 3D, e podendo obter na internet filmes recém lançados que muitas vezes demoram para chegar ao Brasil e outras vezes nem passam por aqui.

00

Minha ordem de preferência pelos filmes que concorrem ao Oscar de Melhor Filme em 2015, ficou assim:

1°) Sniper Americano

Autobiografia de Chris Kyle, atirador de elite da Marinha norte americana, que lutou no Iraque e teve em seu currículo cerca de 160 mortes. Chris Kyle foi considerado o mais letal atirador da história das forças armadas dos Estados Unidos.

Gostei muito desse filme, que conta uma história real e tem um final triste e surpreendente. O final é algo recente, que ocorreu em 2013. O filme foi baseado num livro com o mesmo nome. 

01

2°) Whiplash: Em busca da perfeição

Este filme conta a história de um baterista de jazz, que frequenta uma das melhores escolas de música do mundo. Apaixonado pelo instrumento e desejando ser “grande”, ele abraça na primeira oportunidade a chance de trabalhar ao lado do temido maestro Fletcher em sua famosa banda. O maestro, porém, tem métodos nada ortodoxos de ensino e não demora a humilhar o baterista novato.

Achei o filme muito bom! Ele mostra como empenho e força de vontade nos faz vencedores. E ao mesmo tempo também mostra que não devemos largar tudo, para conquistar um sonho…

02

 3°) A Teoria de Tudo

Baseado na biografia de Stephen Hawking, o filme mostra como o jovem astrofísico fez descobertas importantes sobre o tempo, além de retratar o seu romance com uma aluna de Cambridge e a descoberta de uma doença motora degenerativa quando tinha apenas vinte e um anos.

Filme gostoso de assistir e que mostra a história de um personagem importante de nosso tempo e fala sobre superação e amor.

04

4°) Selma

Drama histórico sobre a campanha por direitos civis dos negros nos Estados Unidos. O filme conta a campanha que tomou espaço na cidade de Selma, no Alabama, onde cidadãos negros tiveram seus direitos a voto negados sistematicamente. O caso chamou atenção e ganhou envolvimento de Martin Luther King.

Outro filme real e muito bom, que conta uma passagem importante na história norte-americana, que contou com a participação de Martin Luther King.

03

5°) O Jogo da Imitação

Cinebiografia do gênio matemático Alan Turing, que durante a Segunda Guerra Mundial, trabalhou com os Aliados na decodificação das máquinas Enigma, ajudando a quebrar códigos de mensagens secretas nazistas e auxiliando na vitória aliada. Turing foi um gênio matemático e nome fundamental às ciências da computação. Ele foi criminalmente processado por ser homossexual no início da década de 1950. Ele poderia escolher a castração química ou a prisão, e ficou com a primeira opção. Desmoralizado, cometeu suicídio comendo uma maçã contaminada com cianureto. Reza a lenda que a Apple (“maçã”) de Steve Jobs teria sido batizada em homenagem a Turing.

Outro filme que conta uma história real e tem uma ótima produção de época. Para ser sincero até que gostei do filme, mas na hora de decidir quais achava melhores, acabei optando por outros filmes por pouquíssima diferença.

06

6°) O Grande Hotel Budapeste

No período entre as duas guerras mundiais, o famoso gerente de um hotel europeu conhece um jovem empregado e os dois tornam-se melhores amigos. Entre as aventuras vividas pelos dois, constam o roubo de um famoso quadro do Renascimento, a batalha pela grande fortuna de uma família e as transformações históricas durante a primeira metade do século XX.

Filme agradável de assistir, com bons atores e um produção de época muito bem feita.

05

7°) Boyhood da Infância a Juventude

O filme foi gravado durante doze anos e mostra a vida do personagem Mason, dos cinco aos dezoito anos. Na verdade o filme é menos sobre a história de um menino, e mais sobre o passar do tempo, sobre coincidências, sobre como a vida de todos nós daria, sim, um filme.

O interessante no filme é a mudança que é possível notar nos atores, no transcorrer de doze anos de filmagens. O filme tem quase três horas de duração, mas confesso que não gostei. Me deu sono! E é visível a “embarangada” que a atriz principal teve nos doze anos que levaram para gravar o filme (gravavam uns dias a cada ano). 

07

8°) Birdman

Um ex-ator de cinema, famoso por interpretar um icônico super-herói, chamado Birdman, monta uma peça na Broadway para tentar reconquistar suas glórias passadas. A trama se passa no transcorrer de três dias, em que o ator lida com problemas com a família e a carreira.

Filme com muito dialogo e algumas “viagens”. Algumas pequenas partes bastante interessantes. Mas no geral não gostei do filme!

08

Oscar 2014

Mais uma vez cumpri o ritual de assistir todos os filmes indicados para melhor filme no Oscar. Esse ano são nove indicados e mais uma vez só consegui assistir à todos os filmes, graças a ajuda da internet. O problema é que tem filme estreando no Brasil uma semana antes da entrega do Oscar e para piorar a situação, vivo no interior, onde alguns filmes indicados nem vão passar no único cinema da cidade.

Esse ano tem muitos filmes bons e ficou um pouco difícil escolher o melhor, pelo qual vou torcer na noite do próximo dia 2 de março. Fiquei em dúvida entre três filmes, mas acabei optando por GRAVIDADE. O filme é bem feito, tem alguns efeitos especiais interessantes, principalmente se você assistir em 3D. Mas não foi isso que me fez preferir tal filme. Por trás de todos os efeitos especiais existe uma história bastante humana, onde uma pessoa está totalmente só na imensidão do espaço e mesmo com tantos problemas momentâneos e outros que ela traz de seu passado, ela não desiste de tentar sobreviver.

Minha ordem de preferência pelos filmes que concorrem ao Oscar de Melhor Filme em 2014, ficou assim:

1°) Gravidade

Filme que conta sobre uma astronauta perdida no espaço e que busca de todas as formas superar seus medos e retornar para casa. Assista em 3D, pois tem muitos efeitos especiais interessantes.1

2°) 12 Anos de Escravidão

Filme que conta uma história verídica, de um negro liberto que foi sequestrado e passou 12 anos como escravo, sofrendo muito. Esse filme mostra como o ser humano pode ser cruel.
2

3°) Clube de Compras Dallas

Outro filme baseado em uma história real e que também conta sobre alguém buscando sobreviver. O personagem principal luta para conseguir remédio para ele e outros doentes, no início da epidemia da Aids.

3

4°) Capitão Philips

Outra história real, que conta sobre um navio de carga que foi sequestrado e o esforço do Capitão do navio para salvar sua vida e a de sua tripulação. Tom Hanks está muito bem no papel do Capitão do navio. Um Tom Hanks bem envelhecido e maduro, bastante diferente daquele Tom Hanks de muitos filmes de humor e comédias românticas que assisti com ele no passado.4

5°) O Lobo de Wall Street

Mais uma história real, que conta sobre a vida de um corretor da bolsa de valores que criou uma empresa muito louca. Filme longo, com quase três horas de duração e com muitas cenas de drogas e sexo.

5

6°) Trapaça

Filme com ótimo elenco e bem caracterizado nos anos setenta. Mas achei o filme meio confuso e difícil de entender algumas passagens. Sensacional é a trilha sonora, que em certos momentos vale o ingresso.6

7°) Ela

História meio maluca, mas muito interessante. Joaquim Phoenix vive num mundo um pouco futurista e se apaixona pelo Sistema Operacional de seu computador, que tem voz de mulher, age e pensa como mulher. Em alguns momentos o filme fica interessante e nos faz pensar sobre sentimentos amorosos.7

8°) Nebraska

Um homem imagina ter ganho um grande prêmio em dinheiro e parte numa viagem para buscar tal prêmio. Mas por culpa de um acidente, acaba tendo que parar numa cidadezinha no meio do caminho. Após contar sobre a história do prêmio, acaba gerando cobiça entre familiares e moradores da cidadezinha.8

9°) Philomena

A história de uma mulher que doa seu filho na adolescência e anos depois saí em busca da criança. Considerada uma comédia dramática, alterna momentos interessantes com outros muito chatos.9

Filmes sobre a Legião Urbana

Acabo de voltar do cinema após assistir ao filme Somos Tão Jovens. Esse filme conta um pouco da vida de Renato Russo e do nascimento da banda Legião Urbana. Para aqueles que igual a mim curtiam Legião Urbana entre a metade final dos anos oitenta até meados dos anos noventa quando o Renato Russo morreu, o filme é encantador. Vale a pena assistir e se deliciar com algumas das músicas que se tornaram grandes sucessos da banda. E também vai conhecer um pouco da história do nascimento de bandas de Brasília que fizeram fama no rock nacional. O filme mostra que bandas como Legião Urbana, Plebe Rude, Capital Inicial e Paralamas do Sucesso são contemporâneas e se cruzavam constantemente pela cidade de Brasília.

E para aqueles que gostam da Legião Urbana, a temporada de filmes está excelente, pois além de Somos Tão Jovens está sendo lançado um filme baseado na música da Legião Urbana: Faroeste Caboclo. E em 2012 também fez sucesso na internet um curta metragem promocional da operadora telefônica Vivo, chamado Eduardo e Mônica, que também era baseado num dos grandes sucessos da Legião Urbana.

A primeira música que ouvi da Legião Urbana foi “Eduardo e Mônica”, dentro de um ônibus na cidade paranaense de Rio Negro. Eu participava de um campeonato de basquete e numa das curtas viagens de ônibus entre o alojamento e o ginásio, ouvi a música sendo tocada num toca fitas de um integrante do time de Londrina. E “Faroeste Caboclo” era uma de minhas músicas favoritas da Legião Urbana. Ouvi pela primeira vez no rádio e foi paixão a “primeira ouvida”. Logo dei um jeito de gravar a música numa fita K7 e só sosseguei quando decorei a gigantesca letra da música.

Várias músicas da Legião Urbana marcaram minha adolescência e pós-adolescência. Quando ouço certas músicas da Legião Urbana me veem a mente certos momentos, certas pessoas que passaram por minha vida e deixaram saudade ou tristes lembranças. Então posso afirmar que muitas músicas da Legião Urbana fazem parte da trilha sonora de minha vida.

Somos Tão Jovens

Somos Tão Jovens.

Faroeste Cabloco

Faroeste Caboclo.

Eduardo e Mônica.

Eduardo e Mônica.

Uma boa combinação: Pipoca e Legião Urbana.

Uma boa combinação: Pipoca e Legião Urbana.

Sessão Dupla

Em minha recente e rápida passagem por Curitiba, aproveitei para fazer algo que fazia com frequência nos tempos em que morava por lá. Assisti sessão dupla de cinema no Shopping Estação. Sempre gostei de cinema e muitas vezes quando a qualidade dos filmes e os horários permitiam, eu assistia sessões duplas e às vezes até sessões triplas em algum shopping curitibano.

Dessa vez minha sessão dupla de cinema foi com dois filmes nacionais, sendo uma comédia muito boa chamada “Até que a Sorte nos Separe” e o outro filme foi “Gonzaga de Pai pra Filho”, que conta a história dos falecidos cantores Luis Gonzaga e do seu filho Gonzaguinha. Esse filme me surpreendeu, pois achei muito bom e bem feito. E notei que mais da metade da plateia era de mulheres acima dos cinquenta anos. Como gosto de sentar bem na frente na sala de cinema, teve um momento quase no final do filme onde olhei para trás e vi muita gente chorando, inclusive alguns homens. Os dois filmes são bons, vale a pena assisti-los!

Cinema vazio

Já tinha assistido filmes no cinema com mais duas ou três pessoas somente, mas essa semana aconteceu algo inédito. Assisti a um filme sozinho em um cinema de Curitiba. No meu caso que detesto cinema cheio de gente e com barulho, ter o cinema todo a minha disposição acabou sendo muito bom. Pena que o filme era ruim. Talvez a má qualidade do filme explique a ausência de público. De qualquer forma acabou sendo uma experiência muito interessante.

Cinema vazio...

Expectador solitário.