Morro do Anhangava

No sábado fui subir o Morro do Anhangava, que fica em Quatro Barras, na localidade de Borda do Campo, próximo ao Caminho do Itupava, na Região Metropolitana de Curitiba. Esse morro é o que fica mais perto de Curitiba e por essa razão é bastante freqüentado. Subi junto com duas novas amigas (Tatiana e Mônica) que conheci no posto do IAP, que fica no inicio da trilha que leva ao Anhangava e ao Caminho do Itupava. As duas sempre estão subindo morros e percorrendo outros caminhos na Serra do Mar. Coincidentemente a Tatiana mora perto de minha casa e é nascida em Campo Mourão. Interessante ir pra um lugar no meio do mato e conhecer uma pessoa que além de ser sua quase vizinha, também nasceu na mesma cidade que você.

O caminho até o cume é bem fácil e a única exceção é um paredão de rocha bem extenso, mas que possui degraus de ferro, o que facilita as coisas. Próximo ao cume existe um outro paredão não muito inclinado, mas que em caso de chuva se torna um pouco perigoso. Mas não era o caso, pois fazia sol e calor. Chegamos ao cume em pouco mais de uma hora, sem forçar. Ficamos um tempo lá em cima descansando, lanchamos e depois iniciamos a descida. Lá do cume se tem uma visão ampla, de quase 360 graus, de onde se vê Quatro Barras e Curitiba, o Pico Paraná bem ao longe e ainda mais distante o Pico do Marumbi.

Na descida ao chegarmos no paredão tinha um verdadeiro congestionamento, com muita gente subindo e descendo. Era preciso esperar, pois no paredão só passa uma pessoa por vez. Pouco mais abaixo encontramos um cara que tinha subido acompanhado de seu cachorro, um Labrador. Também vi algumas crianças na trilha, o que prova que o Anhangava é um dos morros mais fáceis de subir.

Mais uma vez cuidei do meu pé, pois ainda não sinto segurança após o sério problema que tive. O calor estava forte e consegui ficar sem água. Por sorte não demorou muito e encontramos um riacho onde foi possível beber uma água límpida e geladinha.

O nome Anhnagava é meio assustador, pois significa “morada do diabo” em tupi-guarani. Não se sabe quem foi a primeira pessoa que o escalou, mas no caminho tem uma Caverna com inscrições do século 18. Durante vários anos ele foi utilizado para uma romaria católica, onde foi criada uma espécie de “via crucis”, composta de 14 cruzes e que terminava numa capela no cume sul. Próximo ao cume ainda é possível ver na rocha alguns símbolos e dizeres religiosos. Nos anos 40 foram criadas as primeiras vias de escalada em rocha, o que transformou o Morro do Anhnagava na primeira escola paranaense de escalada. E graças a sua proximidade com Curitiba e seu fácil acesso, ele sem duvida é um dos morros paranaenses que mais vezes foi escalado. Possuindo 1.430 metros de altitude, é o ponto mais alto da Serra da Baitaca e também a entrada da Serra do Mar.

Encarando o paredão na subida.

Encarando o paredão na subida.

Descanso durante a subida.

Descanso durante a subida.

Vista do alto, descando e descida.

Vista do alto, descando e descida.

Na descida após congestionamento no paredão.

Na descida após congestionamento no paredão.

Em dois momentos: no cume e depois no final da trilha.

Em dois momentos: no cume e depois no final da trilha.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s